Crescimento de negócios ligados à alimentação mostram importância do setor

A predominância do setor alimentício na economia do Vale do Taquari se mostra cada vez mais forte. E, assim, revela um caminho de oportunidades que indústrias dos mais variados ramos têm para se aperfeiçoar e crescer, considerando o consumo mundial e a inexistência de barreiras para produtos de qualidade e alinhados às novas tendências. Carnes e derivados, candies, lácteos e embutidos, entre tantos outros, formam uma cadeia de produção de alimentos com destaque em âmbito estadual.


Indústrias de alimentos são destaque na economia regional - Crédito: Ilustração

Exemplos disso são o setor de suínos, que tem desde a criação até o abate e o processamento da carne, aves e as cooperativas agropecuárias. Os números de 2021 ainda não foram fechados, mas no ano passado as cooperativas do Vale do Taquari registraram crescimento de 19,9% e faturaram R$ 5,28 bilhões, sendo o resultado positivo impulsionado pelo desempenho do ramo agropecuário, que foi o que mais cresceu. O Vale do Taquari é referência no modelo cooperativista estadual. Atualmente, mais de 396 mil pessoas são associadas às 17 cooperativas da região. Destas, cinco tem foco em agropecuária e atuação com alimentos: Dália Alimentos, Languiru, Certaja, Arla e Agroindustrial Paraíso Coapar.


Com sede em Estrela, a Associação dos Criadores de Suínos do RS (Acsurs) registrou em 2020 um volume de 10 milhões de animais abatidos pelos frigoríficos. O volume foi 4% superior a 2019 e a tendência é de novo crescimento para este ano. Na classificação por regiões dentro do RS, o Vale do Taquari lidera com 19,1% do volume produzido, tendo como destaques os municípios de Capitão, Teutônia e Arroio do Meio. Na avicultura, a região ocupa a segunda posição no RS. Os municípios da região responderam por 21% dos 422 milhões de frangos abatidos entre janeiro e junho de 2020, atrás da Serra que lidera com 29%.


Para a Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil), o desenvolvimento do ramo alimentício no Vale do Taquari é evidência da vocação econômica regional para a produção e o processamento de alimentos. A entidade já dedica atenção especial à área, a exemplo do Grupo Técnico de Alimentos (GTA), que já promoveu 18 edições do Workshop de Alimentos. Esse estímulo ao segmento atinge em 2022 mais um momento importante com a promoção da 4ª edição da Jornada da Alimentação – englobando o Meeting e o Seminário de Carnes. Desta forma, a Acil potencializa o contínuo fortalecimento e crescimento dos players que já são naturalmente desenvolvidos.


“A excelência empreendedora que caracteriza igualmente a nossa cultura encontrou no agronegócio e na indústria de alimentos a sua veia natural de evolução, tornando a cadeia produtiva de alimentos um dos principais sustentáculos da nossa economia”, destaca o presidente da Acil, Cristian Rota Bergesch. Segundo ele, a promoção de eventos como a Jornada Técnica do Setor Alimentício é decorrência natural do grau de força, estruturação e busca de inovação que caracteriza o robusto segmento alimentício. A edição 2022 vai ocorrer no período de 26 a 29 de abril no Clube Tiro e Caça.


Jornada da Alimentação terá sua quarta edição em 2022 - Crédito: Arquivo