Seminário debate mercado e oportunidades para microcervejarias

De acordo com a Associação dos Cervejeiros Artesanais do RS, há 220 operações gaúchas registradas no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), além de um grupo de 200 a 400 ciganas, como são denominadas as terceirizadas. Em âmbito nacional, são 1.050 microcervejarias, sendo o Rio Grande do Sul líder no mercado. Baseado nesse cenário, nos desafios existentes e espaços a serem explorados que ocorreu hoje o seminário As Oportunidades da Cerveja Artesanal, uma das novidades da Jornada Técnica do Setor Alimentício - AlimentaAção 2019.


A atividade reuniu cerca de 25 pessoas e contou com a participação do presidente da Associação, Diego Gomes. Acompanhado da técnica do Sebrae Francine Danigno, eles apresentaram um painel com o panorama atual, a realidade do empresariado e do consumidor. Entre as tendências, destaque para incremento dos negócios principais, como a instalação de brewpubs, que vão oportunizar experiências gastronômicas atreladas ao mix de bebidas, e o turismo cervejeiro. Gomes também comentou sobre algumas tramitações de pleitos nos governos federal e estadual para melhorar as condições de trabalho dos cervejeiros, como a carga tributária e o custo dos insumos. Na opinião do dirigente, 2019 é um ano decisivo para definir se muitas empresas permanecerão ou findarão, considerando o impacto de estabilidade de caixa, capacidade de investimento em marketing e propaganda e tamanho, já que os muito pequenos são pouco privilegiados em termos de escala. "Quem está estabelecido tem mais condições de competir. Quem ingressa, se antes podia fazer isso com menor aporte, agora está tendo que ter um desencaixe muito maior. Produzir cerveja hoje se tornou uma tarefa mais difícil, porque o mercado está em ponto de saturação. Não quer dizer que não tenha espaço para entrar e crescer no ramo, mas há uma concorrência crescente com players grandes entrando no mercado e marcas estabelecidas há mais tempo", resumiu.


O evento contou ainda com o case Da Panela à Fábrica, que revelou a trajetória da microcervejaria Irmãos Ferraro, de Porto Alegre. Criada em 2009, surgiu de um desejo de dois irmãos de produzir e apreciar um produto de qualidade entre amigos. Rodrigo Ferraro contou sobre a evolução do negócio e desafios que tiveram que ser superados. Ao mostrar fotos do início do trabalho, aproveitou para advertir sobre a importância da tecnologia. "O cervejeiro caseiro costuma se orgulhar das gambiarras que faz para produzir. Mas hoje em dia, com tantos fornecedores de máquinas e equipamentos no mercado, é algo que pode ser melhorado". Ferraro enfatizou os passos da empresa para crescer, que partiram da pesquisa sobre os consumidores, planejamento da marca e as formas de apresentação, consideradas estratégicas para a marca. Entre as evoluções mais recentes está a Villa Ferraro, um espaço criado em 2017 junto à fábrica para receber os clientes. "Funciona como showroom e é propício para obtermos o feedback das nossas bebidas", afirmou.


A programação foi encerrada com degustação orientada, conduzida pelo técnico e sommelier, Edu Pelizzon. Ele também palestrou para o grupo e falou da importância de entender a necessidade de investimento, educação e técnica para empreender, tanto para bar como para cervejaria. "Assim a pessoa tem total condição de acelerar o crescimento do negócio, se aproximar do alvo e encurtar caminho", ponderou. Edu compartilhou seu conhecimento e experiências acumuladas como campeão do 4º Campeonato Brasileiro de Sommeliers de Cervejas em 2017, onde também foi vice em 2019. O próximo desafio é a terceira participação no concurso mundial, neste ano no Itália.


Degustação orientada finalizou seminário da cerveja artesanal - Crédito: Clarissa Jaeger

Rodrigo Ferraro apresentou o case da Irmãos Ferraro, de Porto Alegre - Visão do mercado foi apresentada pelo presidente da Associação dos Cervejeiros Artesanais do RS, Diego Gomes, e técnica do Sebrae Francine Danigno

Visão do mercado foi apresentada pelo presidente da Associação dos Cervejeiros Artesanais do RS, Diego Gomes, e técnica - Crédito: Simone Rockenbach

Edu Pelizzon fez palestra e conduziu a degustação - Crédito: Priscila Rodrigues

Edu Pelizzon fez palestra e conduziu a degustação - Crédito: Priscila Rodrigues

Degustação orientada finalizou seminário da cerveja artesanal - Crédito: Clarissa Jaeger

Degustação orientada finalizou seminário da cerveja artesanal - Crédito: Clarissa Jaeger


JORNADA TÉCNICA DO SETOR ALIMENTÍCIO

Associação Comercial e Industrial de Lajeado

Rua Silva Jardim, 96 - Centro

(51) 3011-6900

CEP 95.900-000 - Lajeado - RS - Brasil

  • Facebook - Black Circle

© 2019 AGEA MARKETING & COMUNICAÇÃO